Fábio Máximo o Retardador, o escudo de Roma

“Fábio sentiu que finalmente o inimigo tinha cometido um erro.

Calculou que Aníbal retiraria pela mesma passagem que usara para entrar na planície e tratou de ocupar o lugar antes do inimigo. Ao fim do dia, um destacamento de 4000 homens instalou um acampamento na passagem propriamente dita, enquanto o grosso do exercito acampou numa colina sobranceira à mesma. Era uma posição muito forte e Fábio esperava ser capaz de infligir pesadas baixas ao inimigo, se este tentasse forçar a passagem, e, no minimo, impedi-lo de levar a grande quantidade de saque que tinha reunido durante as suas pilhagens.

O exercito de Aníbal não tinha comunicação com as suas bases de origem na Hispânia, nem com os seus aliados na Gália Cisalpina e, por não controlar um porto, não tinha efectiva comunicação com Cartago. Mesmo um desaire menor poderia causar sérios danos, quebrando a impressão de invencibilidade gerada pelas suas primeiras vitorias e desencorajando qualquer dissensão nos aliados de Roma.

Os exércitos rivais estavam acampados a cerca de 3 km um do outro. Lívio afirma que Aníbal tentou um ataque directo à passagem, mas foi repelido, embora o mais fiável Políbio não faça qualquer menção a este acontecimento. Todas as nossas fontes são concordantes no relato que seguida aconteceu, uma vez que se tornou num dos clássicos ardis ou estratagemas do mundo antigo.”

Excerto retirado do Livro de Adrian GoldsworthyGenerais Romanos pág. 48

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *